fegarusso 12 / 11 / 2019

Publisher: Private Division
Developer: Obsidian Entertainment
Gênero: Action, RPG, Shooter
Plataformas: PlayStation 4, Xbox One, Microsoft Windows

Escolha seu espaço.

The Outer Worlds empresta muito de Fallout. Mais especificamente, Fallout 3 e Fallout: New Vegas, sendo este último criação da Obsidian. Você viaja entre comunidades descontentes, escolhendo missões e matando pessoas de quem não gosta. Você clica nas opções de diálogo e a câmera se aproxima de um personagem sempre que você inicia uma conversa. Às vezes, é estranhamente semelhante à popular propriedade pós-apocalíptica, mas como uma pura experiência de role-playing, a Bethesda é derrotada neste embate.

A Obsidian provou ser mestre em cair nas graças dos jogadores, e The Outer Worlds é talvez um de seus melhores trabalhos. Como foi o caso do mencionado Fallout: New Vegas, a liberdade que você recebe na maneira de abordar missões, lidar com pessoas e construir seu personagem é praticamente incomparável. O resultado é um título que é sempre envolvente, surpreendente e gratificante, independentemente de como você escolhe jogar.

A colônia

Ocorrendo em uma colônia espacial conhecida como Halcyon, seu personagem personalizado é despertado da estagnação 70 anos depois que seu navio - convenientemente chamado de The Hope - deveria ter chegado ao seu destino. Veja bem, Halcyon não está indo muito bem. A escassez de alimentos e os surtos de peste significam que algumas comunidades mal se sustentam, enquanto os órgãos de governo lutam para manter a lei e a ordem, à medida que as situações se tornam mais terríveis a cada dia.

Despertado do sono por um cientista maluco chamado Phineas Welles, ele considera que Halcyon está condenado, a menos que você possa ajudá-lo a acordar todos os outros que ainda estão dormindo no The Hope - algumas das melhores e mais brilhantes mentes que a Terra já enviou ao espaço. O que se segue é uma aventura na qual você traz paz ou caos completo e absoluto à colônia. A escolha é sua.

Existem facções para se apoiar, personagens para se aliar e escândalos sociais a serem descobertos. Você pode passar horas ajudando as pessoas e fazendo amigos, ou pode simplesmente sair do seu navio e começar a estourar a cabeça de quem vir pela frente com seu revólver favorito até encontrar algumas respostas. A beleza de The Outer Worlds é que você nunca fica sem opções. Digamos que você precise de informações de alguém, mas mesmo sua lábia não pode convencê-las a dar o que você precisa. Você pode tentar entrar no quarto dos fundos e vasculhar os arquivos - mas e se sua habilidade para espionar não for alta o suficiente? Talvez você tenha que se contentar em lhes fazer um favor ou, você sabe, você pode simplesmente matá-los brutalmente e saquear seu cadáver.

Mate ou ajude, as missões estão ali

As missões podem mudar drasticamente, dependendo de suas ações, e seu alinhamento com cada facção pode variar significativamente se você adotar uma abordagem mais extrema à solução de problemas. Nunca parece que você é punido por fazer as coisas do seu jeito. Claro, tomar o partido de uma ou outra facção pode ser mais fácil que matar a todos, mas você terá perdido alguns tiroteios de arrepiar os cabelos e uma série de opções de diálogo deliciosamente sombrias.

Falando nisso, The Outer Worlds tem algumas de nossas opções de diálogo favoritas em um videogame - e isso não é algo que dizemos a esmo. Seu personagem não é dublado, mas isso dá lugar a respostas brilhantemente escritas e muitas vezes genuinamente engraçadas. Você pode ser o idiota mais sarcástico que a galáxia já viu, ou pode mentir para as pessoas constantemente. Você pode obviamente ser um cara legal também, mas onde está a graça nisso? As opções de diálogo são apresentadas a você depois de quase todas as linhas de fala, e é isso que torna todas as conversas completamente envolventes, ao mesmo tempo em que permite moldar a personalidade do seu personagem. É uma interpretação de nível superior.

Claro, não é só você que tem que lidar com o povo de Halcyon. Você pode recrutar seis membros diferentes para seu bando à medida que avança nos seus negócios, cada um deles com sua própria perspectiva e posição moral. É com esses aliados que The Outer Worlds começa a se parecer um pouco com Mass Effect. Embora seus amigos não sejam tão memoráveis ​​quanto Garrus ou Wrex, todos são interessantes, matizados e trazidos à vida por uma ótima dublagem. E sim, eles até têm suas próprias missões de lealdade.

Como sugerido, essas missões farão você viajar por toda Halcyon. O jogo não é um mundo aberto, mas possui vários locais espaçosos que você pode explorar livremente. Entre grandes cidades e áreas perigosas, os ambientes parecem distintos e bem realizados, mesmo que pareçam um pouco estáticos quando comparados aos mundos abertos com os quais nos acostumamos a ver nessa geração de consoles.

E a jogabilidade, como fica?

Certo, temos um ótimo elenco de personagens e uma história complexa que se ramifica em inúmeras direções diferentes, com base em suas ações - mas e o combate? Bem, estamos felizes em informar que o tiroteio aqui está bem a frente do que Fallout 4 tem a oferecer, mesmo que não corresponda aos melhores FPS de hoje em dia, que são normalmente jogos especializados neste gênero em específico. Na verdade, a jogabilidade é bastante estável, e o movimento é suave. Algumas armas têm um coice melhor do que outras - os revólveres são ótimos, por exemplo - mas, no geral, é uma ação sólida.

Os combates são elevados pelo TTD, ou Tactical Time Dilation. É essencialmente a versão The Outer Worlds do V.A.T.S. (Vault-Tec Assisted Target System), permitindo que você diminua o tempo enquanto avalia seus inimigos e escolhe seus alvos. No entanto, os ataques feitos com o TTD não são automáticos - você ainda precisa se mover, mirar e puxar o gatilho. Como tal, é um mecânico mais versátil do que a alternativa de Fallout, pois você pode diminuir o tempo para se afastar dos ataques recebidos ou se reposicionar se for pego em campo aberto. O TTD não dura muito, a menos que você esteja parado, mas recarrega-se rapidamente, permitindo que cada escaramuça tenha algumas mortes elegantes.

Infelizmente, o combate corpo a corpo não se sai tão bem. Ataques feitos com lâminas e instrumentos contundentes tendem a não ter impacto. Não é um negócio que realmente tire o brilho do jogo - lutar corpo a corpo é muito divertido quando você está acostumado a bloquear e desviar - mas não parece tão satisfatório quanto dar baixa de seus inimigos com seu rifle favorito.

Eu conheço essa fama

Sabemos o que você está pensando. A Obsidian tem uma bela reputação quando se trata de jogos meio bugados, mas você vai se surpreender ao saber que The Outer Worlds é basicamente livre de bugs, pelo menos em nossa experiência. Além da única vez em que um membro do grupo morreu por nenhuma razão discernível e tivemos que recarregar o jogo do último ponto de salvamento, não encontramos um único problema em nossas 40 horas com o game. Também funciona bem no PlayStation 4 Pro, com uma taxa de quadros de 30 FPS consistente fora algumas gagueiras muito pequenas quando está ocupado com o salvamento automático. Quando se trata de desempenho, nossa única reclamação real é que as telas de loading podem ser longas - algumas delas quebrando a marca de um minuto se você estiver entrando em uma área particularmente densa.

Continuando, The Outer Worlds não é muito atraente, apesar de uma boa direção de arte. Algumas texturas são bastante sujas e alguns caracteres são muito feios. Dito isto, as animações faciais não são ruins. Eles certamente não estão alinhados com os melhores do mercado, mas, assim como The Witcher 3, o jogo faz um ótimo uso de animações repetidas, mas decentes, para fazer a coisa funcionar.

Antes de chegarmos à conclusão, vale a pena notar que The Outer Worlds não é um jogo particularmente longo. Você provavelmente poderia fechar a história principal em 15 horas em média, mas estaria perdendo algumas ótimas missões opcionais. Uma partida completa aumenta o seu tempo de jogo em até 30 horas e, honestamente, é algo bem animador, principalmente para quem tem pouco tempo, não ter que gastar 100 horas vasculhando um RPG gigantesco.

Conclusão

The Outer Worlds é um triunfo quando falamos de RPG, puramente dito. Com o desenrolar diretamente ligado à escolha do jogador, a Obsidian oferece uma aventura de ficção científica brilhantemente trabalhada, repleta de textos espirituosos, ótimos personagens e um fantástico grau de liberdade. Adicione combate sólido e exploração recompensadora à mistura, e você terá a receita de um RPG que implora para que você o jogue mais uma vez. Uma aquisição essencial para os fãs do gênero.