Andrews 27 / 11 / 2021

Faça o que quiser, na hora que quiser!

Publisher: Ubisoft
Developer: Ubisoft Milan, Ubisoft Annecy
Gênero: Sports
Plataformas: Xbox One, Xbox Series S/X, PlayStation 4, PlayStation 5, Amazon Luna, Google Stadia, Microsoft Windows

Chegando como possível sucessor espiritual de jogos como Steep e SSX, Riders Republic joga para o alto as regras e mostra que radical mesmo é fazer o que quiser na hora que quiser.

Desenvolvido pelos franceses da Ubisoft Annecy, Riders Republic é quase um MMO de esportes radicais. Para entrar no jogo você deve estar o tempo todo online, mas ele não te obriga a ficar interagindo o tempo inteiro, nem limita sua jogatina solo se preferir. É tudo muito dinâmico e você começa pilotando sua bicicleta em alta velocidade e sem muita enrolação.

Riders Republic conta com diferentes esportes e cada estilo tem uma linha de carreira própria. Um ponto positivo é que o jogador pode mudar o esporte a hora que quiser e a progressão é individual e não fica nada confuso. Outro ponto interessante são os biomas diferentes, mesmo que próximos, e que mudam organicamente.

Ah! Sem esquecer de citar que, claro, ganhar estrelas é a moeda do jogo que pode ser trocada por cosméticos na loja.

Gameplay

O Gameplay é o primeiro pilar de Riders Republic, ele acerta e foca muito bem nisso. O controle pode ser simples ou complexo e em ambos a curva de aprendizado é boa. Aprender novas manobras é bem intuitivo e conforme você avança, o jogo não se priva de lhe encher de novos itens e brindes.

O segundo pilar é o cenário. A Ubi é craque em construir cenários deslumbrantes, muitos baseados em lugares reais. Então como deixar estes cenários ainda mais bonitos? Basta permitir aos jogadores executarem manobras voadoras! Os movimentos dos personagens são bem orgânicos e altamente plásticos, o que aliado com a ambientação deixa tudo que você faz incrível.

E mesmo se alguma coisa der errado você pode imediatamente rebobinar a câmera como em um documentário de ação e refazer a manobra, uma mecânica já bastante popular em jogos como a série Forza.

Storytelling

Toda dinâmica do cenário e toda interação te remete a um documentário de esportes radicais e isso gera boas piadinhas e interações divertidas com NPCs. Não é nada que vá prender sua atenção e, na verdade, se você não quiser nem prestar atenção nas cenas e diálogos nem precisa. Não existe uma grande história rolando, só competição e diversão quando e onde quiser.

Menus e Mecânicas de Jogo

Os menus são muito simples e intuitivos. O tempo todo ele te mostra novos itens ou equipamentos e ensina como você pode combiná-los. O primeiro que você usa é a Bike, mas existem esquis, snowboard, trenós, moto de neve, Jetpack e muitos outros. É possível mudar a hora que quiser e explorar o mundo do jeito que preferir. Quem sabe você pode até encontrar itens e equipamentos raros espalhados por aí, heim!?

Defeitos

Pequenas falhas e bugs são corriqueiros, ainda mais em um jogo com várias pessoas correndo e se esbarrando. Não é raro encontrar alguém preso em uma árvore ou agarrado entre duas pedras, o que pode gerar cenas cômicas. Mas quando ocorre em grandes eventos com muitas pessoas simultâneas, aí sim é possível perceber que a experiência foi bastante atrapalhada.

Os movimentos de manobra são basicamente os mesmos em todos as modalidades. Ainda não descobri como aprender manobras novas e as repetições de manobras pode tornar o jogo um tanto quanto entediante... exceto no Jet Pack que tem toda uma mecânica específica para ele, o que torna extremamente satisfatório rodar o cenário voando como o Superman. O defeito neste ponto é a mudança brusca da perspectiva do eixo do controle, que durante o voo é invertida, mas ao puxar o paraquedas muda para perspectiva normal... e isso confunde muito e claramente é uma falha que poderia ser facilmente corrigida permitindo aos jogadores configurarem uma preferência de controle nestes casos.

Existem relatos de muitos crashs mas sinceramente não tive nenhum jogando no Xbox Series X. Contudo, frequentemente fiquei preso entre objetos e certamente as corridas massivas com muitas pessoas simultaneamente vão precisar de melhorias de performance neste quesito.

Um ponto que não vi reclamações na internet, mas que a mim incomoda, é a falta de músicas mais empolgantes. O tempo todo o jogo constrói o clima de uma república radical e sem regras, mas as músicas não refletem isso. Poderia ter tentado algo mais próximo de Tony Hawk’s Pro Skater, investindo em uma boa trilha.

Modelos e Customização

A modelagem dos personagens é bem simples, simples demais para mim. A customização do seu personagem também não é lá essas coisas, você não vai encontrar muitas opções. Eu realmente não gostei muito do meu personagem, mas foi o que deu para fazer com as ferramentas fornecidas. Mas conforme sua evolução segue, é possível conseguir muitos itens cosméticos que incrementam a aparência dos personagens, além de possibilidades de caçar itens lendários.

Conclusão

Exploração é outro grande pilar de Riders Republic. Os lugares que podemos descobrir são de tirar o fôlego, os cenários são impressionantes! Soma-se a isso os eventos e itens especiais, a necessidade de analisar, durante a execução, a melhor manobra ou caminho a tomar, e temos um jogo bastante divertido. Porém por se tratar de um MMO, precisa de adição contínua de conteúdo, ou o jogo pode cair na monotonia.

Fica a recomendação positiva. O preço não ajuda muito, mas pode valer a pena em uma promoção.  É um ótimo jogo para ouvir um podcast - de preferência o PlayerCast - e aproveitar a vista.

Nota: 7,5

Agradecimento especial a Ubsoft Brasil que nos enviou uma cópia do jogo versão Xbox Series.