fegarusso 14 / 05 / 2020

O PlayStation 5 (PS5) da Sony pode custar facilmente US$ 599 se considerarmos os 3 componentes mais caros do console.

Houve muita especulação sobre os preços do próximo console PlayStation 5 (PS5) da Sony. O analista de jogos Michael Pachter havia previsto no ano passado que o PS5 poderia custar US$ 800 com todos os componentes de alta qualidade que incluirá.

A nova pandemia de coronavírus piorou as coisas graças às interrupções na cadeia de suprimentos que parecem estar enviando o preço dos principais componentes do PS5 para a estratosfera. Embora ainda não exista um posicionamento oficial sobre preço, não será surpreendente ver o console de próxima geração da Sony atingir o preço que Pachter havia estimado. Aqui está o porquê.

Custo dos materiais embarcados em cada console. Fonte: IHS

Os principais fatores de custo do PS5 sugerem um preço premium

Para ter uma ideia do preço potencial do PlayStation 5, precisamos voltar no tempo. A lista de materiais (BOM - Bill of Materials) do PS3 em dezembro de 2009 era de US$ 326,5, de acordo com o IHS. Naquela época, a memória dinâmica de acesso aleatório (DRAM) usada no PS3 custava à Sony apenas US$ 9,80, enquanto o disco rígido custa cerca de US$ 38

Esses dois componentes juntos representavam US$ 47,80, ou 14,6%, da lista total de materiais. Cortando para novembro de 2013, e o custo desses componentes representou uma parcela maior da BOM no PS4. Enquanto o custo do disco rígido era de US$ 37, o custo da DRAM subia para US$ 88.

Juntos, esses dois componentes representaram pouco mais de um terço da lista total do PS4, de US$ 372, pois o custo combinado subiu para US$ 125.

Não é de surpreender que a Sony tenha aumentado o preço do PS4 para US$ 399 para equilibrar o aumento nos custos de componentes. Desta vez, o custo da DRAM e o armazenamento que deve ser implantado no PS5 podem aumentar substancialmente.

Vamos começar com DRAM. A Sony usará 16 GB de RAM GDDR6 no PS5. O custo dessa nova geração de memória gráfica é significativamente maior, cerca de 70% a mais, do que a RAM GDDR5 usada no PS4.

No início de 2019, 1 GB de memória GDDR6 da Micron Technology custava US$ 11,69 por chip. O custo do chip de 16GB foi estimado entre US$ 110 e US$ 150.

Um excesso de oferta em 2019 causou uma queda no preço dos chips de memória, mas a má notícia é que eles começaram a subir mais uma vez. O preço da DRAM subiu dois dígitos no mês passado. E agora, as interrupções no fornecimento causadas pelo surto de COVID-19 estão enviando preços do componente para as alturas.

Portanto, não se surpreenda se a Sony pagar entre US$ 100 e US$ 150 por cada unidade da RAM GDDR6 que alimenta o PS5. Isso representaria um salto de 70% em relação à geração anterior e não será o único fator de custo importante para o PlayStation 5.

O SSD do PlayStation 5 aumentará ainda mais os custos

Vimos que o preço do disco rígido usado nos consoles da geração anterior da Sony era basicamente menos de US$ 40 por unidade. Mas pode não ser o caso desta vez, pois a Sony planeja implantar uma unidade de estado sólido (SSD) de 825 GB personalizada no PS5.

O preço de um SSD NVMe de 500 GB da Kingston ficou em torno de US$ 60 em janeiro deste ano, enquanto uma variante de 256 GB custa pouco menos de US$ 37. Portanto, o SSD personalizado de 825 GB que a Sony colocará no PS5 poderia enviar os custos de armazenamento do console para algo em torno de US$ 100.

O problema para a Sony é que o custo do armazenamento flash NAND usado nos SSDs deverá aumentar 40% em 2020, à medida que o fornecimento permanecer interrompido.

A Sony poderia ter que desembolsar mais de US$ 100 em custos para os SSDs que entram em cada PlayStation 5. Dessa forma, o custo combinado da memória gráfica e da memória de armazenamento no console poderia chegar a US$ 250, pelo menos.

Se os preços continuarem subindo, esses componentes poderão aumentar de preço ainda mais em comparação com as expectativas atuais.

Mas, mesmo com US$ 250 previstos, o custo combinado do armazenamento de DRAM e SSD do PS5 seria o dobro do PS4. Enquanto isso, o processador usado no PS4 já era 20% mais caro que o PS3.

Supondo um salto semelhante desta vez, o chip personalizado usado no PS5 poderia chegar a US$ 120. Juntos, esses três componentes podem representar quase US$ 400 da BOM do novo console.

Na última vez, esses três componentes custaram à Sony US$ 225 no total.

Então, vamos supor que o custo de outros componentes, incluindo a placa de vídeo AMD RDNA 2 personalizada com ray tracing, permaneça o mesmo. A Sony precisa cobrir o aumento do custo desses três componentes-chave; isso pode significar que a Sony teria que aumentar efetivamente o preço do PS5 em quase US$ 200 para obter lucro nas vendas de console.

Nesse caso, o PlayStation 5 quase certamente engolirá o custo de produção de um console que provavelmente totalizaria um preço de US$ 599 ao consumidor. Mas com um preço desses não venderia. Cerny já declarou que o valor de lançamento será "atraente aos consumidores". Um subsídio de grande tamanho pode significar um crash na economia da gigante de jogos, que por mais significativa que seja, não tem tanta "bala na agulha" quanto sua rival, Microsoft.

Resta agora saber como a Sony irá lidar com essa enorme dor de cabeça.