Podcast

Senpai Me Notou #006 – Ghost in the Shell

Senpai te notou novamente! Confira mais um episódio do podcast de ANIMES do Player Select \O/

E para comandar essa bagunça, invocamos os senpais Master Muller, Rodrigo Luz e Mackson!

Neste cast temos uma conversa “no nível do filme” sobre um CLÁSSICO das Animações Japonesas: GHOST IN THE SHELL (Ou GITS para os mais antigos).
Plugue seu pescoço no sistema, pegue o traje invisível que até hoje o FBI procura (#NeverForget) e mergulhe conosco nesse mar de filosofia, fantasmas e um futuro cada vez mais presente.
#GITSGOOD

Arte da vitrine: Mackson Lima
Edição de áudio: Master Muller

Participe do Grupo de Ouvintes do Player Select!
Feed do Player Select:
  • Acesse o Feed do Player Select
  • Nos acompanhe pelo iTunes
Emails:
Redes Sociais:
  • darkpandaren

    Vou ser honesto, precisei ver esse filme 3x para achar ele bom! A 1a vez foi confuso, parado e chato! Mas quando você presta atenção nos detalhes e entende certas coisas do mundo, ele torna-se um filme lindo!

    Só queria acrescentar algo sobre a Major, como seu corpo é quase totalmente robótico o seu Ghost ele existe como um resquio, algo muito pequeno, que a torna curiosa em saber se ainda é humana. O fato de ela ir ao fundo do mar mesmo podendo morrer caso o equipamento de mergulho falhe é de querer sentir medo, exaustão e esperança.

    Outra cena é quando ela está no boate em meio a cidade e ela contempla as pessoas trabalhando, fazendo compras, vivendo as vidas, tentando compreender o que a faz humana.

    Também é possível ir fundo no puppetmaster, de como ele deseja entender o que faz algo ser vida, tanto que ele não deseja criar copias, mas sim vida pois isso é algo único.

    Ótimo cast! Desculpe o comentário longo aqui vai uma batata! (.:)

  • O Catedratico [Player Select]

    Concordo com o rafael em parte.

    Para assistir hoje em dia essa temática já foi bem explorada e não parece ser tão novidade assim. Uma conceito que achei sensacional na época é o conceito de “criar” consciência. A voz do fantasma em sua mente nada mais é do que a consciência tentando se formar. Na psicologia, todos nós temos vozes na mente, alguns consideram a voz de Deus ou do Diabo. Mas no fim a conclusão mais próxima é de ser uma nova consciência ou personalidade se formando (ou apenas vc mesmo por outro ponto de vista). E que podem ser dicotomizadas (separadas) ou não.

    Se nós podemos gerar personalidades diferentes em um mesmo corpo é de imaginar que uma I.A. pode gerar a sua própria quando estimulada da forma correta. Conceito muito bem explorado em WestWorld.
    Espero apenas que o filme traga novas questões e se aprofunde nesse debate filosófico. Já que mostram que o universo do anime e manga é bem mais expandido e não tão explorado.

  • DukeMagus

    Bom cast! Só acho que vocês exageraram no receio com implantes cibernético.

    Se você trocar “cibernética” por medicina, todos os argumentos são bastante parecidos e todo mundo aceita de boa.

    Você trabalha numa empresa e não ganha um corpo novo, mas uma série de vacinas e remédios no plano de saúde. Vacinas Antidepressivos, anti histamínicos, controladores de pressão e gordura no sangue, etc. Se você sai, ou perde o convênio ou paga uma fortuna por ele.

    A mesma coisa com “melhorias” (tem que ter uma tradução melhor para augmentation). Lentes de contato, tratamentos médicos, hormônios… Nós manipulados muito do nosso corpo para superar o limite e durabilidade do mesmo.

    Existe um movimento relativamente grande de entusiastas do Transhumanismo e, se por um lado o máximo que conseguem hoje dão tatuagens com qrcode, tarjas NFC subcutâneas e um cara que trocou uma córnea não funcional por uma câmera no lugar do globo ocular, no minuto que surgir algo melhor (trocar o apêndice por um carregador USB?), eles vão ser os early adopters que precisamos.