PlayerCast

PlayerCast #87: Cadê meu RPG?

Hoje em dia praticamente todos os jogos que são lançados possuem elementos de RPG. Já é um gênero consolidado no mercado, mas o que aconteceu com o clássico e antigo RPG? Será que os RPGs orientais, por exemplo, estão mortos? Afinal de contas, cadê meu RPG?

É isso que Daniel “Danlost”, Marcelo “Guaxinim” e Marlos Sinuto tentam desvendar nesse novo episódio do PlayerCast. Desde grinds infinitos até jornadas com tantos reinos a serem salvos. Se identificou e sente falta daquela época? Ouça já e indique a seus amigos.

 

Comentado nesse Episódio:

ARTE DA VITRINE:  Almir Tadeu

 

Feed o Player Cast:

 

Curta nossa página do Facebook:

 

 Twitter:

 

Emails:

 

  • DANÇARINO DO AGRESTE

    GUAXININ GOSTOSO

  • Arkhan

    Esse foi esperado!
    Comentando ainda antes de ouvir, e só posso falar da Vitrine que ficou muito boa. Depois de ouvir falo do cast.

  • Capitao39

    Eu adoro a franquia Zelda mas na minha opinião os jogos tem elementos de RPG mas não o suficiente para ser categorizado como um.

    • bom, se pensar assim dark souls não é um jogo de RPG, né??

  • Marcus.Maia

    Meu primeiro contato com JRPG foi a intro de FF8, mas não consegui comprar por ser na
    época da pirataria, acabei pegando o Final Fantasy Tactics que não gostei no começo, mas uma
    noite tudo mudou, resultado em 4 noites/ um caderno e um dicionario, foi o que precisei para finalizar o game e entender a história.
    Logo pulei para FF9 demorei mais de 50 horas para finalizar.
    Já FF7 não gostei da história e do personagens o FF8 nunca mais busquei.
    Depois graças aos emuladores finalizei FF2 e FF6 que são espetaculares.
    Os outro não conseguiram me cativar FF10 até o FF13-3.
    Hoje tenho meu amigão PSP que roda tudo 🙂 então aproveito para desenterrar coisa
    antigas seja na época do Snes, GameBoyAdvance, Psone que não pude dar chance…
    Outro ponto é que muita coisa do Snes/Psone ganhou uma versão definitiva para o psp então vc encontra games com uma qualidade a cima da média.
    Ultimamente está saindo muita coisa traduzida para inglês por fã, coisas que nem no Vita tem (acho), Final Fantasy Type-0 vai sair em agosto a versão 100% em inglês, Digimon Adventure e Grand Knights History já tem a versão em inglês disponível….
    Cast Curto, poderia ser mais longo, mas muito bem amarrado.

    • Arkhan

      Também estou no aguardo do FF Type-0 com tradução inglês.

      Também tenho o salvador PSP e vez ou outra tenho que garimpar nas listas de "10 must play psp games", "5 best rpgs", etc. pra encontrar algo bom entre os títulos obscuros e menos conhecidos.

      Marcus Maia, você jogou Grand Knights History? A última vez que verifiquei o english patch dele não estava 100% e tinha muito texto em japonês ainda.

      Outro jogo que gostaria que houvesse tradução é Lord of Apocalypse…

      • Marcus.Maia

        Arkhan,

        o único site que acompanho para encontrar traduções ou pegar coisas em JP é o http://www.nicoblog-games.com/ a tradução 100% ( eu acho) de Grand Knights History está lá, se conhecer outros sites me fala pfv.
        Dá uma olhada vc pode achar coisas bacanas rsrsr

    • João Marcos Silva

      O que esta esperando? vá jogar FF8 agora!

      • Marcus.Maia

        João Marcos Silva, kkk, nem a pau..o que já escutei sobre o jogo e realmente não faz meu estilo…tenho ele em pt br, mas até o momento está na minha lista como ultima opção!
        Agora se o Player Select fizer um cast sobre os tops FF e rolar o 8 quem sabe ?! kkk

      • Arkhan

        João, sou da mesma opinião do Maia: também não curto o FF8. Até joguei um pouco mas realmente não faz meu estilo. Certamente tem seu mérito, principalmente em qualidade gráfica e beleza de Summons. Mas a história é excessivamente romântica, o sistema de "magias" não ma agradou nem o enrerdo… Mas agradeço a sugestão.

  • Marcus.Maia

    Resumindo minha opinião, mas falando de JRPG:
    RPG não morreu suas mecânicas foram para outro games,(como foi dito no cast) fato;
    E quando vc pensa JRPG tem que ser avaliado o mercado Japonês e diferenças para o mercado ocidental.
    Vai ser chato, mas é interessante alguns pontos.
    -Porque não é lançado tanto JRPG para console de mesa como antigamente ?
    -Porque o oriental que consome esses jogos passa mais tempo na rua escola/faculdade/trabalho que em casa, então o game é direcionado para celulares, portáteis.
    -Porque JRPG sumiu da pratilheira ?
    -Normalmente a um choque de realidade oriental vs ocidental, esse equilíbrio leva tempo por isso da demora para que as distribuidoras possam trazer para ocidente.
    Exemplo: Diminuição da sensualidade de personagens, localização, estudo do mercado para ver se o produto vai vender ou não, etc.
    Mas graças ao Bravely Default novos jogos vão chegar, mas serão para portátil, rsrsr
    -Vale lembrar que hoje no japão está tendo uma enxurrada de Animes/Produtos, com personagens com traços mais infantis, mesmo que na ficha do personagem ela tenha 20 anos, possui um corpo de 13. Esses tipos de personagens não fazem sucesso aqui no ocidente, criando um atrito comercial para distribuidora.
    Espero ter ajudado na discussão.. se falei merda pode corrigir 🙂

  • Almir o "Branco"

    Falando como ouvinte: Só joguei alguns RPGs na minha vida, não sou fã do genero, mas os que joguei curti muito e tenho até hoje tambem no meu PSP, "Brave Fencer Musashi", "Legend of Mana", "Pokemon Emerald", "Chrono Trigger", "Breath of Fire 4", Zelda: e recentemente "Zelda: a Link to the Past" e o hilario "South Park" para 360. Otimo cast, otima edição, parabens a equipe.

  • Arkhan

    Finalmente o PlayerSelect falou dos RPGs. Ja não era sem tempo.
    Por isso que no cast de "Importância da História nos Games" eles propositalmente não falaram de RPGs…

    Só achei que o cast ficou curto; esse é um dos temas que dá pra se estender bastante. Podia ser um episódio em três partes, cada uma com 2 horas de duração.

    Não entendi o porque da vírgula sonora usada… e também senti falta de musicas de fundo de RPGs durante o episódio (ao invés de Assassins Creed). Existem maravilhas sacerdotais em Chrono Trigger, Chrono Cross, FF, e tantos outros que podia ter utilizado.
    Então fica a cobrança pra usarem nas outras duas partes do cast.

    • Realmente o tema do assassins creed fica mais perceptível, até por ser mais conhecida e com uma melodia ou "motivo", bem marcante. Mas se vc ouvir de novo o cast, vai notar que tem musicas do próprio Chrono Trigger, Dragon Age, Final Fantasy, demon's souls, Mass Effect, entre outras. A virgula é uma referencia as lutas aleatórias que ocorrem a todo tempo nos RPGs classicos.
      Mas de certa forma tem razão… Gosto muito desse tema e preferi fechar com ele. Por que? Porque sim.. rs

      • Arkhan

        Foi você quem editou o cast?

  • ursinhomalvado

    Aprendi coisas novas sobre RPG, apesar de não gostar nada do gênero. Sempre pensei que o que caracterizava o RPG eram as batalhas em turno e o sistema de perguntas (você encontra um personagem, aparecem três opções de perguntas, você escolhe uma). Resumindo, pra mim RPG sempre foi sinônimo de "coisa amarrada", jogo lento que te faz perder tempo com chatices. E eu não sou do tipo que gosta de jogo de ação, muito pelo contrário.

    Existem vários jogos que usam algum destes dois sistemas que eu adoraria jogar, mas não dá, não consigo tolerar. Mass Effect é um, joguei o demo e várias vezes precisava fazer perguntas inúteis que não acrescentavam nada. Ni No Kuni talvez seja o jogo que me dá mais pena por não jogar. Amo o trabalho do estúdio Gibli e as animações fantásticas do senhor Miyazaki, mas sendo um RPG não posso jogar. Experimentei o demo e nem consegui ir até o final.

    O que me entristece é que os dois poderiam ser jogos incríveis, e até vender mais, se fossem mais no estilo Uncharted, uma forma muito mais interessante de contar uma estória. Falo principalmente de Ni No Kuni, que não foi exatamente um sucesso até onde sei.

  • João Marcos Silva

    Ótimo cast galera,primeiramente gostaria de elogiar a edição do cast, que na minha opinião foi a melhor até agora, e a vitrine também ficou muito boa.
    O gênero RPG é com certeza o meu favorito, que conheci no PS1, gosto muito não só por causa das mecânicas mas também pela duração, pois atualmente os jogos estão ficando cada vez mais curtos.Reconheço que existem recursos no RPG clássico como batalhas em turno e encontros aleatórios (que nunca me agradaram) que simplesmente não funcionam mais e tornam-se uma perda de tempo e muitas vezes irritante, tanto que ao jogar FF8 procuro logo desativar os encontros aleatórios.Não considero jogos como Skyrim,Mass Effect e Dark Souls um subgênero mas sim como uma evolução dos RPGs clássicos, e consequentemente muito mais dinâmicos.Acho que só não haviam feito isto antes por limitações de hardware.Sendo assim acho que tentar fazer um RPG clássico hoje em dia é como chutar cachorro morto, de qualquer forma o gênero foi muito importante, tanto que atualmente muitos jogos que não são RPGs usam suas mecânicas.

    P.S : Façam um cast sobre a Konami

  • Eu adoro jogos de RPG!! até por que um dos melhores jogos que já joguei da minha vida é um RPG, O Vampire The masquerade Bloodlines, esse jogo pra min serviu como uma quebra de paradigmas em relação o que é um jogo de RPG?? Eu tive que discordar bastante das opiniões do Danlost em relação ao seu conceito de definição de um jogo RPG no qual eu achei bastante limitadas ao que era os RPG clássicos dos consoles. O meu conceito será baseado no próprio jogo que eu citei: No Vampire Bloodlines ele se baseia num cultuado RPG de mesa do Vampiro a Máscara, que se passa no mesmo universo do Mundo das Trevas. Nesse jogo se passa mo mundo atual em que vivemos hoje em dia e você é um humano que acabou de receber o abraço (na linguagem do jogo quer dizer torna-se um vampiro) em seguida, existe um personagem que será o seu guia para um tutorial explicando como são as regras do jogo, ensina as ferramentas e explica como é o universo daí, o seu personagem vai se virar para sobreviver nesse mundo. O jogo te dá o direito de fazer escolhas nessas escolhas existe as consequências, o jogo te dá varias maneiras de cumpri os seus objetivos e jogo tem 5 finais diferentes dependendo das escolhas que você tomou. Nesse jogo você não é o herói que irá salva o mundo de um mau antigo e sim você é ós mais um ser tentando sobreviver nesse universo.

    Por isso que esses RPGs ocidentais ficaram estagnados por que era sempre a mesma formula, as mesmas ferramentas, os mesmos esteriótipos de um jogo ocidental só que num universo diferente. Por isso que eu acho que na minha opinião a formula do RPG ocidental não me atrai de jeito nenhum, na minha opinião é uma formula que tem que morrer de vez e nunca mais voltar.

    • João Marcos Silva

      O que você acha de Skyrim?
      É ruim para você?

      • Na verdade eu fiz uma cagada, eu tava me referindo ao JRPG (RPG Oriental). Skyrim é outro exemplo de como se faz um verdadeiro jogo RPG.

  • Este canal do Youtube pra min conseguiu definir toda as diferenças do JRPG e do WRPG, como foi que WRPG conseguiu se superar cada vez mais do JRPG de uma forma, genial e sem tomar partido. Assistam
    https://www.youtube.com/watch?v=l_rvM6hubs8 https://www.youtube.com/watch?v=v8aiEsIW9IM https://www.youtube.com/watch?v=Cmkdoz5LjdE

  • Jota Branded

    Sobre Zelda ser RPG ou não eu deixo essa imagem: http://i.imgur.com/c5luvXW.jpg

  • Robert

    Apesar de não ter muitos elementos de RPG, meu jogo favorito é Rogue Galaxy. E na minha opnião quem é gamer não se importa em jogar um jogo por 80 horas. O Rpg não acabou cara, os MMOs estão ai pra provar isso. Espero que o Rpg volte a ser o que era mas acho dificiu. Abraço galera, depois desse cast ganharam um grande fã.até a proxima.

  • Jeoval

    Gostei pakas da cast, eu só acho que ouve uma uma confusão com o RPG e o JRPG, A serie Elder Scrolls, Mass Effect, Dragon Age são os remanescentes dos verdadeiro RPGs ocidentais onde a Interpretação esta acima da mecânica o que importa são as suas decisões no desenrolar da estoria e o impacto imediato delas assim como se vc estivesse jogando um RPG tradicional(lápis e papel) ou um Livro Jogo, os JRPG por outro lado só carregam a parte RPG apenas nas estatísticas normalmente se segue uma estoria predefinida com pouca ou nenhuma interação, não existe o fator Interpretação que é o principal pilar em um "jogo de interpretação de personagem", para mim o JRPG esta muito mais historia interativa que é muito comum no Japão que a verdadeira essência de um RPG de verdade.