Filmes e Séries

Crítica – Kingsglaive: Final Fantasy XV

Lembra do Final Fantasy: Spirits Within? Pois é, Kingsglaive é a versão Massa Véio dele!!!

Por Rodrigo Luz

Kingsglaive: Final Fantasy XV é um dos conteúdos, anunciados pela Square-Enix, que expande/complementa o universo do jogo FFXV.

Com um CGI de qualidade Surpreendente, uma duração de quase 2 horas e personagens que poderiam muito bem fazer parte da trama principal do jogo, Kingsglaive é um filme de respeito!
Alguns o desmereceram, dizendo que é um filme “Mais ou menos” ou “Não leva a lugar nenhum” mas na minha opinião FFXV: KG é uma excelente animação que prepara bem o terreno para o jogo que viria depois.

O filme conta a história de um distinto grupo da Guarda Real, conhecido como “Kingsglaive” (algo como “As Lâminas do Rei) que é responsável pela segurança de Regis, Rei de Insomnia a última cidade de Lucis ainda livre do controle do Império.
Além da segurança do Rei, os Glaives são enviados em diversas missões de reconhecimento, infiltração e combate a monstros (conhecidos no universo do jogo como “Demônios”) e aos avanços do Império.

Por serem responsáveis pela segurança do Rei, Regis compartilha com os Glaives uma parcela de seu poder. Isso permite aos Glaives usar Magias (como Bolas de Fogo, disparar Raios e projetar Barreiras) além de permitir que usem uma habilidade Exclusiva dos Herdeiros de Lucis: o Warp, ou Translocação.

Arremessando suas adagas, os Glaives conseguem realizar um teleporte (quase como um “Blink”) para onde a adaga está, seja cravada em alguma estrutura ou até em pleno ar.
Esta habilidade em especial permite todo um estilo próprio de luta dos Glaives com ataques rápidos, seguidos de acrobacias e teleportes para locais próximos de maneira estratégica e fluída.

O protagonista da animação é Nyx Ulric um Glaive com certa experiência no cargo, que se destaca no combate e uso de magia. Logo no início já temos uma excelente cena de ação onde vemos um grupo em confronto com soldados Magitek (uma espécie de ciborgue do Império) e Demônios que avançam tentando tomar o terreno.

Nos são apresentados alguns personagens em destaque como Libertus que após abater um grupo de soldados acaba emboscado por monstros e é salvo de uma investida Behemotiana por Nyx, Luche que em meio a batalha também cruza com Nyx e Crowe (ah, Crowe….) a única Glaive mulher que, com um grupo separado, está conjurando uma espécie de grande turbilhão de fogo para destruir os inimigos.

Os Glaives começam a sobrepujar os inimigos com a ajuda da conjuração de Crowe quando, trazido por grandes máquinas voadoras do Império, chega um demônio gigantesco que desfaz o turbilhão de fogo, desbalanceando totalmente o combate.

Este demônio inclusive lembra muito um clássico inimigo de Final Fantasy VII: O Emerald Weapon

Ele dispara uma nuvem de projéteis para todos os lados destruindo grande parte do terreno, inclusive uma ponte de rocha que ligava uma área à outra.
Curiosamente o monstro recua após este ataque, juntamente com as forças do Império.

E tudo isso se passa nos primeiros minutos de filme!
Obviamente não são 110 minutos de pura ação. O filme tem momentos expositivos onde vemos Chanceler Ardyn do Império de Niflheim “visitando” o Rei Regis e comunicando o interesse do Império em um acordo de paz com Lucis, que é um ponto importante na trama das histórias.

Inclusive a animação nos mostra a situação atual do mundo de Eos.
O Império de Niflhein já dominou praticamente todo o território do continente.
O único reino ainda livre é Lucis onde o Rei Regis Lucis Caelum governa e protege seus povo, mantendo ativa uma barreira mágica impenetrável.

Esta Barreira só é possível devido ao Cristal Mágico de Lucis que, juntamente com o Rei descendente da linhagem dos Lucii, projeta esta magia de proteção ao redor do reino.
Conforme a trama avança vemos alguns flashbacks de um Rei mais jovem, levando o Príncipe Noctis em uma cadeira de rodas e se encontrando com a pequena Lunafreya Nox Fleuret.

Não sabemos ao certo o que aconteceu mas é bem provável que Noctis estar incapacitado tenha à ver com o ataque sofrido no Anime Final Fantasy XV: Brotherhood  (outro transmídia lançado pela Square-Enix para promover/expandir o universo do jogo) onde vemos Noctis e, provavelmente sua Mãe, serem atacados por uma Nagah (um tipo de Mulher-Serpente). Após serem salvos por Regis e seus Glaives vemos que a possível Rainha morre enquando Noctis parece gravemente ferido.

Neste filme entendemos melhor como Noctis e Luna foram separados na infância e também um ponto muito importante da história que é o personagem Ravus Nox Fleuret, irmão de Luna e um “Vilão” da história.
Logo neste flashback inicial vemos que durante o encontro mencionado acima, um pelotão do Império ataca o grupo tentando assassinar Regis e todos à sua volta.
Ravus presencia a morte de sua mãe pela espada de um Cavaleiro envolto em uma armadura pesada que, logo em seguida, parte para cima de Regis.

O Rei consegue defender parte do grupo e repelir o ataque do Cavaleiro arremessando-o para longe.
Regis pega Noctis em seu colo e puxa Luna pela mão enquanto fogem do ataque, mas tanto Ravus quanto Luna acabam ficando para trás.

Este flashback ajuda um pouco na compreensão de porque Ravus age de forma hostil em boa parte da narrativa do jogo.

A animação segue mostrando o grupo dos Glaives, que basicamente é composto por Nyx Ulric, Libertus Ostium, Crowe Altius (ah Crowe…), Luche Lazarus e Pelna Khara.
Todos estes comandados por Titus Drautos, atual líder dos Glaives.

Em alguns momentos podemos ver que os Glaives tem um certo conflito de “Ideais X Missão” porque todos eles são de outras cidades vizinhas, que não puderam ser protegidas pelo Rei, e foram dominadas pelo Império.
A grande maioria dos Glaives sonha em poder voltar para sua cidade de origem e lutar contra os Império ao lado da resistência .

Algumas cenas depois a missão de “Escolta/Resgate” da Princesa Lunafreya é apresentada aos Glaives e Crowe é escolhida para se infiltrar em Tenebrae e encontrá-la.
Nyx é designado para à guarda do castelo até Drautos recrutá-lo para uma missão paralela.

O Império, em uma tentativa de acordo de paz com Lucis, traz seus representantes à cidade de Insomnia.
Incluindo Lunafreya que, acompanhada por Nyx, encontra o Rei Regis que a pede para ir secretamente ao encontro de seu filho Noctis. Luna rejeita o pedido afirmando que seria perigoso pois onde for o Império também ira.

Drautos passa a missão de proteger Lunafreya à Nyx e logo em seguida descobrimos que Crowe foi assassinada e que sua missão era uma fachada.

Confesso que não entendi bem o porque desta escolha de roteiro. Não sei sei foi para trazer um sentimento de perda/revolta em Nyx e Libertus ou se Crowe (devido a parecer ter um poder mágico superior) era uma ameaça aos planos do Império.
Realmente não ficou bem explicado na narrativa, pelo menos para mim e confesso que fiquei bastante triste de uma personagem com tanto potencial ser “descartada” nos primeiros 30 minutos de filme…

A morte de Crowe faz com que Libertus, que já era revoltado, finalmente de o passo final e saia dos Glaives.

Não quero comentar muito mais da trama do filme pois quero que todos os leitores prestigiem esta animação pois com certeza vale muito a pena!!!

Falando em “animação” MEU DEUS ESSE FILME É BEM FEITO!!!
Nós que jogamos vídeo games estamos já bastante acostumados a ver cutscenes realistas e CGIs cada vez mais próximos da realidade, mas Kingsglaive – FFXV, na minha humilde opinião, é um Novo Marco no quesito Qualidade/Realismo.

É impressionante a quantidade de detalhes apresentados em muitas das cenas do filme e a qualidade dos mesmos. Cenários extremamente bem construídos e trabalhados com efeitos de luz/sombras surpreendentes.

Aliado a isso temos personagens que por muitas vezes beiram o foto-realismo. São todos muito bem modelados, com expressões, cabelos, olhos, pele todos extremamente bem feitos.
Em determinados momentos é bem fácil de se esquecer que é uma animação em CGI e tratar o filme como “Live-Action”. Principalmente se você ver o cast de atores utilizados como base para os modelos 3D! Todos eles foram fielmente retratados nesta animação, um trabalho realmente impressionante!

E, como já comentado anteriormente, esta qualidade também está presente nas lutas e cenas de ação! Todas são bastante detalhadas com muitos efeitos, principalmente nas magias, explosões coisas do tipo.
Um efeito que achei particularmente excelente é o de Warp/Translocação dos Glaives. Parece ter sido algo bastante trabalhado pois é muito bem feito e visualmente muito bonito.

Além disso ainda passa uma sensação de “dano” à quem utiliza. Diferente dos Warps de Noctis onde somente partículas de Luz são projetadas, os teleportes dos Glaives sempre são acompanhados de raios mágicos, fagulhas, fumaça e um leve som de eletricidade. Isso traz uma ideia de que o uso excessivo desta habilidade traz consigo um desgaste físico e até talvez diminuição do tempo de vida do usuário.

Inclusive é comentado no filme que a Magia em si é um pouco nociva aos seus utilizadores o que é um conceito interessante já que as habilidades mágicas dos Glaives são um empréstimo de Sua Majestade.
Este é um elemento também presente no jogo já que os feitiços lançados tem “Friendly-Fire” mostrando que a magia é uma força não totalmente controlável.

Enfim, Kingsglaive – Final Fantasy XV é uma excelente animação que complemente o cenário de FFXV trazendo mais informações sobre os personagens, história e o cenário como um todo.

Para quem é fã de FF é com certeza uma excelente pedida! Eu já assisti mais de uma vez e sempre curto bastante.
Recomendo fortemente que quem for jogar FFXV assista antes tanto Kingsglaive quanto Brotherhood para ter a experiência completa!

Com certeza vale a pena conferir! E se você é Fã de Final Fantasy como eu, e já assistiu tanto Spirits Within quanto Advent Children com certeza vai gostar desta nova animação.

É como eu disse no inicio Kingsglaive é o Spirits Within versão “Massa Véio”! E todos sabemos que, mesmo as vezes não admitindo, Todos Nós gostamos de um filme “Massa Véio” ainda mais se tiver “Final Fantasy” no nome, hehehe!!!!

Crítica

Kingsglaive: Final Fantasy XV
Square Enix / Sony Pictures Home Entertainment

*As opiniões retratadas abaixo são de inteira responsabilidade do autor do texto, não retratando a opinião do site.