Análise de Games

Análise – Ghost Recon Wildlands

Acompanhe a análise do mago da edição Almir Branco, sobre um dos jogos mais vendidos do ano!

Por Almir Branco

É difícil acreditar que o primeiro título Ghost Recon tenha mais de uma década e meia de idade, e é chocante pensar que foram quase cinco anos desde o último título, Ghost Recon: Future Soldier. Outros títulos de Tom Clancy ajudaram a preencher esse gap, mas a franquia Ghost Recon, ficou inativa.

Como a maior parte da série Ghost Recon, Wildlands lança você em uma terra problemática, devastada pela guerra, que é absolutamente invadida por bandidos. Desta vez, na Bolívia. Muita liberdade artística foi tomada com as paisagens e as políticas da região, mas o jogo faz o melhor para encaixar o arco da história em algo parecido com os assuntos mundiais modernos. Felizmente, você estará muito ocupado voando em helicópteros, resgatando rebeldes e atirando em membros do cartel fortemente armados para se importar com o quão bem ele faz isso.

Desde os momentos da missão inicial, é claro quem é seu alvo final. El Sueño é o principal chefe e líder do cartel de Santa Blanca, que controla toda a região graças à enorme riqueza gerada pelo seu próspero negócio de cocaína. Cada coisa que você faz em Wildlands é, em última instância, apenas um pequeno passo para finalmente acabar com El Sueño, e mesmo se você pausar suas missões da história para cuidar de algumas missões secundárias, esses objetivos ainda estão ligados ao objetivo de derrubar o Chefe dos chefes.

O Wildlands é um jogo de mundo aberto em todos os sentidos, com total liberdade de movimento e confrontos frequentes. Você tem controle total para abordar cada objetivo do jeito que você quiser, o sigilo é necessário para a sobrevivência, mas outras vezes “ser” o Rambo não é apenas extremamente eficaz, mas também muito divertido.

O mapa de objetivos do game é único, um infográfico com vídeos de cada chefe responsável por cada área do cartel, cada chefe deve ser eliminado para poder progredir no game, e não importa por qual deles você queira começar e nem a ordem que você irá fazer, mas vou avisando cada área do mapa tem sua dificuldade, então comece pelas mais fáceis.

Se você está jogando sozinho, você joga com 3 parceiros de Inteligência Artificial. Eles não são tão inteligentes assim como quase todos os BOTs, mas definitivamente são úteis e podem ser comandados para seguir ordens com precisão razoável. No entanto, o jogo realmente deve ser jogado com amigos, e isso é visível quando adiciona outro player ao seu time. Assim que um segundo player estiver presente, todos os seus parceiros de IA desaparecem, assim deixando de ser se uma equipe de quatro homens para uma dupla. Ainda assim, dois players geralmente são suficientes para realizar qualquer missão. O único problema é que, mesmo depois que os soldados de IA desaparecem, eles continuam a conversar e fazer pequenas conversas ao viajar ao redor do mapa. Em um ponto eu tinha apenas 2 players controlados por jogadores no carro, mas o bate-papo humorístico era entre 4 pessoas.

A personalização é outro grande ponto forte para o Wildlands, ajustar como seu personagem e armamento se parecem e se comportam é bom demais. Seu guerreiro pode ser tão intimidante ou ridículo que você quer que ele seja. Um amigo com quem joguei foi enfeitado parecia uma arvore de natal, enquanto eu escolhi calças cargo branca, uma camisa xadrez laranja, mochila azul, óculos de esqui e chapéu de cowboy. A melhor parte é que as cutscenes são processadas usando seus personagens no jogo, então, assistindo uma conversa com outros agentes, enquanto observando através de um par de óculos de esqui brilhantes e sem sentido, realmente fazia com que a experiência fosse útil.

Esse nível de personalização se estende ao seu armamento. Existem dezenas e dezenas de armas para encontrar no mundo e adicionar ao seu layout, e cada um deles possui diversos componentes que podem ser trocados. Novos itens, pontos turísticos, coletáveis, estão espalhados em toda a Bolívia, e se você é um explorador e caçador de tudo que tem no mapa, você vai querer repensar as coisas um pouco, o mapa é enorme. Ah, e cada componente individual pode ter seu próprio esquema de cores, também, além dos trabalhos de pintura e completos disponíveis para escolher.

Na verdade, usar as armas é uma experiência igualmente bem-aventurada. Os rifles de assalto, como o M4A1 e o AK-47, tornam-se rapidamente o seu novo melhor amigo, e eles são extremamente úteis em praticamente qualquer cenário. Armas mais especializadas, como rifles de atiradores ou espingardas de cano serrado são terríveis ou uma salvação dependendo do cenário. Os tiroteios são tensos e você se encontrará alternando repetidamente entre os modos de mira e a arma que está usando. Cada arma se comporta de forma ligeiramente diferente na batalha, e cada componente pode modificar esse comportamento. Aprender os padrões de retrocesso e gerenciar a capacidade de munição de uma arma torna uma máquina de matar muito mais eficiente.

À medida que você coleta novas armas e acessórios e use-os para aumentar a eficácia das armas, você ganha pontos de experiência que podem ser gastos, além de créditos que você obtém para ajudar os rebeldes locais, que assim o ajudam contra o cartel. Estes pontos de habilidade podem variar, como ter um pára-quedas, ou mais resistência e saúde. Muitas das habilidades têm vários níveis, aumentar todas possibilita que osoldado seja bom em quase tudo, o que é crucial durante o jogo solo.

Sensação de grandeza em Wildlands nunca deixa de impressionar, mas essa ambição também pode causar algumas dores de cabeça. O mapa do mundo é absurdamente grande e, embora as medidas exatas não tenham sido reveladas, é claro que o Grand Theft Auto 5 está envergonhado. Isso é um grande sucesso, especialmente quando você vê um vislumbre da variedade de ambientes, a Ubisoft conseguiu esmagar essa Bolívia, existem selva, deserto, neve, pastagens e tudo junto e misturado, sem telas de carregamento. Infelizmente, enquanto o jogo parece realmente impressionante, o framerate pode ficar um pouco agitado durante cenas agitadas. Combate uma dúzia de soldados? Suave. Agora adicione algumas explosões de helicópteros, algumas ondas de reforços, uns 5 carros que levantem a poeira no e brilho dos faróis, de repente, as coisas começam a diminuir um pouco.

Isso me leva ao meu único problema real com a Wildlands: é muito ambicioso. A Ubisoft disse repetidamente que este é o maior jogo de mundo aberto que já foi feito, e é realmente uma conquista impressionante como um produto final, mas o tamanho e a profundidade de todos os aspectos do jogo deixaram muitas falhas assim como quase todo jogo de mundo aberto. Não são apenas os soldados fantasmas, o fato de que as conversas de rádio com NPC não são sincronizadas tanto para você como para seus parceiros cooperativos on line, as falha freqüentes que me impediram de reviver meus aliados na batalha e o bug de eu estar no banco do passageiro e dirigir o carro, quando eu estava claramente no banco do motorista na minha própria tela.

Nenhuma dessas falhas prejudicaram a minha jogabilidade, e na maioria das vezes eles resultaram em um ataque de riso em vez de qualquer frustração real, mas eles estão definitivamente presentes. Construir um jogo tão enorme, detalhado e rico quanto Wildlands, está tão longe do que a maioria esperava de um título Ghost Recon que poderia até derrubar o seu homônimo de sub-franquia e simplesmente ser uma puta duma franquia. Certamente, agora tem capacidade para isso.


Ghost Recon Wildlands

Ubisoft

* Ghost Recon Wildlands está disponível para PS4, Xbox One e PC