Análise de Games

Análise – Far Cry Primal

*As opiniões retratadas abaixo são de inteira responsabilidade do autor do texto, não retratando a opinião do site. Esse texto não contém spoilers do jogo.

Por Daniel Danlost

Far Cry trouxe, principalmente em seu terceiro jogo, uma legião de fãs e uma fórmula de sucesso para a Ubisoft: um mundo aberto com uma fauna e flora sem igual, um vilão marcante e uma história que dá conta do recado. Acompanhamos essa fórmula popularizar a série em Far Cry 3, e manter Far Cry 4 em alta. Mas e agora… será que esta fórmula sustenta o novo spin off da série? Vamos aos fatos.

Far Cry Primal nos pegou de surpresa sendo apresentado pouco tempo antes de seu lançamento, e muitos pensaram que poderia ser uma expansão de Far Cry 4, como Blood Dragon foi para Far Cry 3. Far Cry Primal é um jogo completo, que usa muito da fórmula de sucesso da franquia, portanto, saiba que elementos como a fauna e flora muito bem feitos ainda estão presentes. Também temos os eventos aleatórios impressionantes, cenários bonitos e opção de exploração quase que ilimitada.

Mas o diferencial do jogo é sua nova roupagem, afinal, quem diria que um dia teríamos um Far Cry com todos esses elementos na idade da pedra? Pois é, temos e funciona. Essa temática combina muito com a fórmula utilizada em Far Cry: o foco na caça agora é com armas brancas como tacapes, lanças ou arco e flechas. Não temos armas de fogo, e acredite, isso não faz falta. Os combates estão com uma boa dinâmica, sejam eles contra humanos ou animais.

Tá com fome? Muita fome? Vamos as “compras”. Fonte: Far Cry Primal

A história, apesar de interessante, não se desenvolva muito bem. O jogo parece não se preocupar querer focar muito nela, logo de cara, deixando muito aberto ao jogador o que fazer. Mesmo assim, a proposta embora clichê, é interessante. Em Far Cry Primal estamos no papel de Takkar da tribo Wenja perdido, no ano 10.000 A.C, que logo após perder seus companheiros de caça e ficar sozinho, acaba encontrando Oros, uma lendária terra prometida. Oros, porém, está em constante conflito. As tribos Udan e Izila destruíram praticamente todos remanescentes Wenja que viviam em Oros, e cabe a Takkar reunir todo recurso que sobrou para reconstruir novamente o nome da Tribo Wenja. Claro que sua tarefa não será fácil, e você terá ajuda de algumas pessoas e de um certo dom.

O dom que Takkar possui, talvez seja a principal novidade na jogabilidade de Far Cry Primal. Agora você pode domar um animal selvagem, e cada tipo de animal que você domar terá uma utilidade específica: alguns animais são mais velozes, outros mais fortes, alguns são apenas menores, e essas variações trazem vantagens nas missões. Sem dúvidas esse elemento novo gera momentos únicos e memoráveis, como lutas entre animais, o uso de lobos para chamar a atenção dos inimigos enquanto cumpre seu papel sem deixar rastros, e até uma coruja que pode atacar ou apenas marcar os inimigos para você.

Eu e meu Totó só observando uma espécie de ritual. Fonte: Far Cry Primal

Além disso, está de volta a já tradicional árvore de habilidades de Far Cry, onde você adquire melhorias para o seu personagem, ganhando pontos por completar missões. Cada personagem NPC recrutado para sua tribo, que seja especialista em determinada habilidade, libera uma árvore específica de habilidades para seu personagem: são skills de combate, habilidades, saúde e outros elementos que ajudam no desenvolvimento de Takkar.
Sua tribo, que é um ponto central nesse jogo, também pode ser gerenciada pelo jogador. Não é nada muito elaborado, mas você pode perder algum tempo recrutando pessoas e melhorando a tribo.
Eventos aleatórios acontecem a todo momento, o que ajuda a trazer vida ao cenário, seja com animais ou humanos. O visual do game segue a linha de Far Cry 4 e está muito bonito, desde o visual numa montanha, o fundo do mar ou uma floresta densa. Tudo é bem detalhado, e com destaque para o som do game – é impressionante como o som desse jogo é bem utilizado -você percebe quando está em perigo, percebe momentos de tranquilidade para apreciar um visual lindo, até mesmo acompanhado do canto dos pássaros. Mas tome cuidado, quando anoitece toda essa beleza toda se transforma em perigo e medo.

Embora o jogo tenha um tamanho bom, algumas missões se repetem, principalmente as secundárias. Algo que me deixava curioso era como seriam as famosas missões de torre para desbloqueio de parte do mapa. E não, elas não existem. Porém, no seu lugar encontramos missões onde devemos colocar fogo em piras espalhadas pelo jogo, e assim conquistar território e desbloquear pedaços do mapa. Normalmente teremos uma batalha antes disso.
Talvez esse seja minha maior reclamação com o jogo, o foco na história principal é bem superficial, você conhece novos personagens e faz missões para eles, e no meio do caminho surgem missões secundárias que ocupam seu tempo. Ao menos o gameplay ser muito divertido torna essa experiência mais agradável. A estrutura do jogo me lembrou muito Shadow of Mordor, um gameplay divertido, muito coisa para fazer, mas uma história bem pé no chão. Acho que um foco maior na elaboração de uma história mais rica e presente faria bem ao game.
Embora venha localizado para nós brasileiros, você utilizará em grande parte apenas as legendas, já que toda a dublagem conta com idiomas específicos para cada tribo presente no game. Todos os menus e avisos também estão em português, como já é feito nos jogos da Ubisoft.

Levante a mão, entre no clima, batendo palma… Fonte: Far Cry Primal

CONCLUSÃO

Far Cry Primal não traz nada de muito novo e nem traz grandes mudanças para a franquia, exceto pela roupagem nova e algumas mecânicas interessantes. Destaque para o gameplay e as situações impostas pelo rico ambiente criado no jogo.

Se você é fã da franquia ou curte jogos com um mundo aberto muito vivo, com bastante exploração e bem divertido, esse jogo é mais que recomendado. Acredite: você passará horas destruindo tribos rivais, caçando e colecionando os animais domados… igualzinho o que fazemos com Pokémon.

Jogar Far Cry Primal me levou a uma questão, que todos já fazemos com a série Assassin’s Creed. Em qual período histórico o próximo Far Cry poderia se passar?

Far Cry Primal
Ubisoft

* Far Cry Primal está disponível para PC, PS4 e Xbox One