Artigos

Alfas, Betas e uma Gama de Novas Opções

“CD PRETO!”

Sim, deve ter sido o primeiro contato da grande maioria dos “Old School Games” com o conceito de “DEMOS”

Não, não estamos falando de Seres das Profundezas, constituídos de pura Maldade, Malícia e Malemolência, cujo único objetivo é “Espaiár a Maldade”, tipo a “Mei” em todas as partidas de Overwatch!

Neste caso estamos falando de “Jogos Demonstrativos”.

Mas em que constitui um Demo?

A grosso modo podemos dizer que um Demo seria uma “Amostra do Jogo Final”.
É como se uma fatia do Jogo Final fosse removida e entregue ao “futuro jogador” para que este prove parte da experiência final que poderá ter com o jogo completo

Normalmente a maioria das opções do jogo estão bloqueadas, personagens, áreas, níveis ficam indisponíveis, deixando somente algumas opções básicas para que o jogador possa entender a proposta/estilo/tema do produto e ao mesmo tempo ficar com aquele “gostinho de quero mais”.

No já citado CD PRETO (todo mundo chamava assim, não adianta negar) de PS1 tínhamos cerca de 3-6 Demos de jogos variados.

De cabeça lembro que a edição que veio com meu PS1 tinha as seguintes opções:
– Parappa The Rapper
– Armored Core
– Talvez um Ghost in the Shell

O resto não lembro, faz muito tempo hehe.

Lembro que jogava muito Battle Arena Toshinden 3 na locadora! Mas isso é para Outro Texto!


A finalidade destes Demos era mostrar aos jogadores o que tinha/viria por aí.

“Mas Luz! Pra ver os lançamentos é só ir no Game Faqs e ver a lista!”
“Passa no setor de ‘Veja Bem’ que eles vão te falar sobre uma coisa chamada ‘Era Pré Internet’”

Em tempos mais simples, tudo de informação que tínhamos sobre um jogo vinha de uma Revista Super Game Power/Ação Games/Gamers, do “Cara da Locadora” ou daquele seu primo rico que ganhava tudo antes de todo mundo (todos tivemos ao menos um desses).

Na maioria das vezes (ainda na época do PS1) era comum você chegar em uma loja e literalmente “Comprar o Jogo pela Capa”.

Não podemos negar que no Brasil a pirataria nesses tempos era extremamente presente. Não raro de se ver nos grandes centros urbanos, pessoas chegando nas famosas “Bancas de Jogos” com uma cesta que tranquilamente acomodaria um belo Leitão Natalino de 8 quilos  (com direito a maçã na boca) e proferindo frases como “Me vê o que chegou de novo essa semana aê!”

Ao que o vendedor prontamente sacava uns 8 ou 9 CDs em embalagens plásticas ou “capinhas” e jogava-os na já mencionada cesta.

O comprador então emendava: “Já me vê mais uns 3 Resident Evil e mais uns 7 Winning Eleven aí porque to alugando/vendendo direto os meus!” e lá se iam mais 10 discos para a cesta.

Sei que parece irreal a ideia de se comprar jogos “de pazada” mas acontecia mesmo!

E, como os jogos eram tão baratos, não havia uma real necessidade de “Demos” no mercado BR.

Você comprava o jogo pela capa e pelo que você “achava que ia ser”. Se não fosse legal ou você voltava na banca e trocava ou passava para algum amigo seu.

Mas como todos sabemos, os tempos mudaram.

Conforme as gerações evoluíram a pirataria foi “diminuindo”. Ela sempre estava presente, mesmo com os avanços de Hardware/Software pelas empresas sempre surge alguma maneira de burlar as regras.

Mas com o tempo realmente foi ficando menos prático de se piratear e, além de outros fatores, algo tornou bem menos atrativo se jogar “Jogos Alternativos”: JOGAR ONLINE!!!

Sim amiguinhos, nem sempre a internet foi como é hoje! Teve uma época em que multiplayer era só mesmo “De Sofá” ou como já falamos “Na Locadora de Games”, mas isso é outra história para outro texto….

Sim, na minha opinião a grande mudança do cenário antigo para o atual (em questão de pirataria) foi o ONLINE. Na maioria dos desbloqueios/destravamentos/emulações a opção “Online” ficava indisponível pois as empresas poderiam simplesmente Banir o Console Hackeado ou o Perfil do Usuário em questão.

Como hoje em dia temos uma “””””””””Internet Decente“”””””””” é possível jogarmos com várias pessoas, ao redor do mundo (em alguns casos) e boa parte do mercado de games se voltou para o online e em proporcionar cada vez mais interação entre os jogadores distantes.

Mas não foi só isso que a conexão com a internet proporcionou aos consoles! Além do retorno dos Demonstrativos (Sim! Eles ainda existem) que voltaram a ter importância, passamos a ter recursos como Patches de Correção!

Odiados por muitos, apreciados por alguns, os Patches vieram para corrigir bugs/erros/problemas em jogos já lançados, algo que anteriormente não era possível. Se um jogo saísse com um bug, não havia nada a ser feito quanto a isso!

-“Ah Luz! Mas quando não dava pra consertar depois, as produtoras se preocupavam mais em polir os jogos e testar extensivamente os mesmos antes de lançar! Naquela época o jogo saía ‘Pronto’!”

-“É verdade”.

-“Ué? Você concordou comigo dessa vez? Bizarro…”

Pois é, mas não inteiramente. Tecnicamente não poder consertar o jogo depois faz com que a equipe se preocupe mais em resolver certos problemas e testar certos cenários antes de lançar.

Mas, temos que levar em conta que, como já dissemos, os jogos foram ficando cada vez mais complexos, com mais recursos e muitas variáveis foram adicionadas à esta louca equação.

E querendo ou não ainda somos todos humanos, e humanos erram. Não é melhor podermos consertar, mesmo que seja com um “Day One Patch”, um erro que poderia estragar a experiência de centenas, talvez milhares de gamers?

Claro, temos casos mais críticos onde o jogo sai praticamente inacabado e aí acaba virando sacanagem com patches semanais de tamanhos algumas vezes maiores que o próprio jogo. Nesses casos temos razão em ficar irritados/decepcionados com as empresas mas, no fim das coisas, a vida segue e nós seguimos jogando.

Falando em “Inacabados”, com o passar do tempo, além dos Demos surgiram os “Alfas” e “Betas”. Finalmente chegamos neles! Afinal, eles estão no título do texto né! Então temos que falar deles.

Basicamente Alfas e Betas seriam versões iniciais e inacabadas de um jogo que está com sua produção em andamento.

Betas são os mais comuns de vermos por aí. Uma da modalidades anteriormente bastante praticada era “Compre o jogo e tenha acesso ao Beta antes de todo mundo!”
Pessoalmente acho isso meio furado. Ter que já comprar o jogo (mesmo que às vezes com desconto) para ter acesso ao Beta e descobrir se vou gostar ou não… É, não curto muito.

Mas outra modalidade de Betas está se popularizando: Open Betas, ou Betas Abertos.

Recentemente tivemos um excelente exemplo disso com o jogo Overwatch! Foi uma iniciativa, na minha opinião, brilhante da Blizzard em fazer um Beta Aberto ao público que permitiu, ao mesmo tempo, testar o jogo/servidores/conexões/desempenho/balanceamento dos personagens e ainda “dar aquele gostinho” para todos os jogadores de PS4/XOne/PC que puderam simplesmente baixar e jogar com todos os seus amigos durante um fim de semana inteiro!

E qual foi o resultado disso? SUCESSO!!!
Claro, lembro que no Dia 1 do lançamento de Overwatch ocorreram alguns problemas de conexão devido ao alto tráfego de informações e usuários conectados aos servidores, mas em pouco tempo foi resolvido e depois da primeira semana ninguém lembrava mais disso.

Sem falar que de tempos em tempos a Blizzard libera o acesso ao Overwatch durante um fim de semana (normalmente quando lançam um Personagem Novo) para que mais pessoas joguem, curtam e posteriormente COMPREM! E realmente funciona!!! hehehehe


-“Mas se o Beta já é uma versão incompleta do jogo, o que é um Alfa?”

Tecnicamente seria uma versão antes do Beta, ainda mais experimental e com ainda menos recursos disponíveis.

Um Alfa já poderia ser Jogado e já teria os recursos básicos (que o jogo irá oferecer) funcionais.

– “Saquei. Alfa é uma versão bem básica, Beta é a mais estável e com mais recursos funcionais. OK, mas O QUE DIABOS É UM PRÉ-ALFA???”

– ”É, esse é um mistério para mim também…”

Tivemos recentemente o “Open Pré-Alfa” de Titan Fall 2 nas plataformas PS4/Xone/PC.

Joguei umas quantas partidas e me perguntei várias vezes “Onde que isso aqui é Pré-Alfa???”

Eu imaginava que ia entrar no jogo e ia ver paredes sem texturas, poucas animações de personagem, cenários simplificados, etc.
O que eu encontrei foi um jogo PRATICAMENTE PRONTO! Na minha experiência não ocorreu praticamente nenhum bug e, se ocorreu, não me impediu de jogar, não quebrou nenhuma partida pela metade nem nada assim.

A única coisa que estava bem zoada era o Matchmaking do Multiplayer! Isso sim estava precisando de bastante trabalho.

Mas, fora isso, o jogo estava funcionando muito bem! Estava mais para “Early Access” do que “Pré-Alfa”!!!

Ah é, eu não falei dos Early Access!
A princípio esta modalidade só é praticada na Steam (para PCs).
Basicamente, como o nome diz, seria uma modalidade onde você teria “Acesso Antecipado” ao jogo ainda não finalizado, normalmente por um preço um tanto menor, e já poderia ir jogando conforme os desenvolvedores fossem implementando coisas novas e finalizando o produto em questão.

O maior caso bem sucedido da modalidade “Early Access” é o famoso MINECRAFT que começou desta forma e, com uma grande ajuda da comunidade, se tornou uma potência no mercado de games mundial.

Quando bem aplicada, essa modalidade pode produzir resultados interessantes pois alia um valor menor que o de um  “jogo final” e permite que os jogadores participem do desenvolvimento do produto, opinando em questões de jogabilidade, mecânicas e opções adotadas (ou não) pelos desenvolvedores.

Enfim, como falei no início, temos toda uma Gama de opções que nos permitem experimentar os jogos para saber se eles são (ou serão) o que estamos esperando.
Seja Demo, Alfa, Beta, Early Access (Pré Alfa não…) o importante é que as coisas evoluíram para facilitar o nosso acesso aos jogos.

No final da análise podemos dizer que o saldo é positivo para a grande maioria de jogadores.
As opções estão todas “a um clique de distância” (caraca mano, me senti velho agora….) basta explorarmos as que nos são apresentadas e ver o que melhor se adequa ao nosso estilo e qual deixa mais “aquele gostinho de quero mais”.

Como sempre, se você chegou até aqui, muito obrigado!!!! O texto deu um trabalhão e espero que vocês tenham curtido e aprendido um pouco sobre o mercado e o que tem aí fora.

E, como diz um velho sábio da internet: “Agora você já sabe, e saber é metade da batalha!”

Valeu gurizada!!! Obrigado e até a próxima!!!!