Análise de Games

Assassin’s Creed Odyssey: O Destino de Atlantis – Ep 2: O Tormento de Hades

Publisher: Ubisoft
Developer: Ubisoft
Gênero: RPG/ Ação/ Aventura
Plataformas: Playstation 4/ XBox One/ PC

Hades tá meio P da vida

Te vejo no Inferno!

Depois de ter ficado um pouco decepcionado com Assassin’s Creed Odyssey: O Destino de Atlantis – Episódio 1, precisávamos do Episódio 2 para nos mostrar que a jornada do Portador do Águia no submundo só iria melhorar. O primeiro episódio foi lindo, mas no final um pouco chato, e enquanto o episódio 2 ainda continua a falhar algumas vezes, ele é muito melhor, e suas missões têm mais criatividade que as do episódio anterior. A saga Fate of Atlantis, agora com apenas mais um episódio pela frente, parece estar em uma trajetória ascendente.

Dívidas a serem pagas

Tendo sido expulso para o reino infernal de Hades no final do Episódio 1, Alexios ou Kassandra se encontram tendo que se defender de Cerberos, e a respiração de fogo das três cabeças do cão que guarda o submundo. É uma luta legal e é uma ótima maneira de começar as coisas. Claro, nosso herói acaba colocando o vira-lata no chinelo, e Hades não fica especialmente satisfeito com o fato.

O Portador da Águia acaba endividado com o deus do submundo e tem pouca escolha a não ser fazer o que ele quer. Com palavras distorcidas e um sorriso perigoso, Hades viajou em seu reino recrutando guerreiros gregos dignos de lendas, incluindo Perseu e Herakles, o ponto é que esses poderosos heróis seriam substitutos para Cerberos.

Tá na hora de fazer um acordo

Um belo mundo feio

E assim outra excursão através de um fantastico mapa de mundo aberto começa. No entanto, o reino de Hades sendo essencialmente o inferno, esta terra estéril é o completo oposto de Elysium, o paraíso repleto de flores do Episódio 1. Revestido em cinzas vulcânicas espessas e vigiado por um sol que não dá calor, isso é o mais longe do paraíso que você pode estar, mas mais uma vez, a equipe de arte do jogo fez um trabalho fantástico de criar uma paisagem memorável.

Apesar de ser um terreno baldio, o reino de Hades não é tão sem vida quanto o Elysium. Como um mundo aberto, parece um pouco menor, e é mais denso que seu antecessor. Felizmente, isso significa que você não está gastando a maior parte do seu tempo viajando de um marcador de mapa para o próximo, e o episódio 2 parece mais rápido de se viajar e isso traz melhores resultados no sentido da jogabilidade.

E te chamavam de lenda, sério?

Parte da lenda

Há alguma ação de qualidade aqui também. Os heróis gregos acima mencionados rendem lutas contra boss bem sólidas , e o episódio termina com o que é possivelmente a luta mais bem feita em Assassin’s Creed Odyssey. Tornar esses encontros mais cheios de significado era o que esperávamos, e foi feito. O saque aqui também é doce, muito doce, na verdade. O episódio 1 foi bastante mesquinho em sua distribuição de novos equipamentos, mas o episódio 2 está feliz em dar-lhe um banho com armas poderosas.

Uma série de missões secundárias também valem o seu tempo, e como esperado de Odyssey, existem decisões morais a serem tomadas. Além disso, um punhado de personagens mortos na campanha principal reaparecem aqui como espíritos vingativos, acrescentando um sabor bem-vindo ao desenrolar da aventura.

Quase perfeito. Só quase.

Nosso único problema real com a narrativa é que o diálogo continua a ser muito atrapalhado. Odyssey, obviamente, se imagina um RPG, mas muitas das interações entre personagens continuam sendo curtas e desajeitadamente breves. Esta foi uma crítica notável no episódio 1 também, e nada foi realmente feito para melhorá-lo no episódio 2. Certamente esses deuses gregos, deusas e figuras lendárias deveriam ter mais nuances para suas personalidades. É um pouco decepcionante que heróis como Herakles mal conseguem algumas linhas de diálogo.

O primeiro desafio da DLC. O jogo começa quente.

Conclusão

Assassin’s Creed Odyssey: O Destino de Atlantis – episódio 2 é uma melhoria real e muito sólida em relação ao Episódio 1, e estamos ansiosos para ver como as coisas se desenrolam no capítulo final. O reino infernal de Hades pode ser um deserto árido, mas tem uma densidade que o Elysium não chegou a ter, e algumas das missões secundárias são especialmente bem trabalhadas. Jogue em um punhado de grandes lutas contra chefes e Torment of Hades é um dos melhores episódios de DLC oferecidos para Odyssey.